Neil Young o mister playNo auge da proliferação de musicas ruins, sempre vale ressaltar a existência de boas canções que  sem dúvida dão de 10 a 0 em muitos “hits do momento”, e que também trazem o bom e agradável rock de raiz. Como dito no titulo, hoje quero apresentar para os senhores(as) um cara que eu particularmente vim conhecer a poucos meses e que ja considero muito, chamado Neil Young. Nos tempos modernos, quando se fala de Rock propriamente dito, o que vem em nossa mente são clássicos como AC/DC, Rolling Stones, U2 e por aí vai. Não desvalorizando essas grandes bandas e nem as musicas, mas existem outros estilos de rock que valem muito a pena ser reconhecido, e Neil Young é um deles.

Neil Young

Mas quem é Neil Young?
Neil Percival Young nasceu em Toronto, no Canadá, mas ainda jovem, devido a separação dos pais, mudou-se para Winnipeg, capital da província de Manitoba, localizada na região central do Canadá. Começou sua carreira tocando no circuito folk/rock local. Durante meados dos anos cinquenta, em torno da idade de dez ou onze anos, o jovem foi atraído para uma variedade de gêneros musicais, incluindo rock and roll, rockabilly, doo-wop, R&B, country e western pop.

Em 1965 resolve se juntar a banda The Mynah Birds, gravando alguns compactos. Após isso, mudou-se para Los Angeles e juntamente com Stephen Stills formou o Buffalo Springfield, uma banda de folk-rock inovadora, mas que na época teve apenas uma relativa repercussão (seu trabalho só foi de fato reconhecido mais tarde). Quando o grupo acabou em 1968, Young partiu para a carreira solo. De seus álbuns iniciais, Everybody Knows this is nowhere (1969) e o essencialAfter the Gold Rush (1970) foram aclamados pela crítica, ao mesmo tempo em que aceitou participar do Crosby, Stills & Nash, como membro efetivo. Acrescido de Young no nome, o quarteto fez muito sucesso nos anos 1969/70, principalmente o álbum Deja Vu. Após uma turnê pelos EUA, separaram-se amigavelmente; Neil Young voltaria ocasionalmente a gravar com os ex-companheiros.[…] Via Wikipédia

Quais motivos me fizeram simpatizar com suas musicas?
Criar uma lista de coisas que me fizeram se interessar nas musicas de Neil Young, não trariam o real motivo pelo qual eu me interessei de fato, mas posso lhe dizer seguramente que o estilo misturado do rock com o folk, me prenderam em suas musicas e sem contar as letras, que em sua maioria são simples, mas com um grande significado. Uma das características também que mais me encantou foi o uso “não egoísta” da harmônica, que pra mim é algo lindo de se ouvir quando se é bem aplicado.

Neil é um cara interessante de se pesquisar a respeito, por que de acordo com sua historia ele se mostra muito apaixonado pelo que faz, e muito encantado com seus próprios resultados, e isto fez com que ele criasse um desejo de quase todo ano ter algo novo tocando nas rádios. Vale ressaltar que nem toda obra do Neil é perfeita e o estilo rock não era sempre seu principal foco, pois ele costumava variar entre Folk, Country e até Hard Rock. Em alguns momentos difíceis de sua vida ele peca e muito no que se diz ‘qualidade’, que para muitos isso foi um estagio preocupante da carreira dele, entretanto no fim ele soube se corrigir e continuou a produzir o bom e velho estilo garagem, como alguns chamavam.

Neil Young já não se importa em fazer obras-primas e discos para a posteridade e menos ainda se importa em fazer com que sua música venda e que toque nas rádios, pois como havia dito, ele se mostra fazer isso por amor e por que realmente gosta.

Mas chega de historia e vamos ao que interessa: AS MÚSICAS!
As canções do Neil tem uma pegada bem diversificada, pois como dito anteriormente ele varia do hard rock ao folk, e isso foi umas das coisas que me chamou a atenção nas musicas dele, não pelos ritmos envolventes e letras fantásticas, mas por optar trazer um estilo não definido e um instrumental bem ‘banda de garagem’, que eu particularmente adoro! Como exemplo de diversidade, ouça abaixo uma musica um pouco mais calma, tranquila e que abusa de uma harmônica sensacional:

Harvest Moon se tornou uma das minhas favoritas, ouve aí:

E se quiser mais uma nessa pegada mais tranquila e com uma letra simples e profunda, tem essa aqui tambem, Heart Of Gold, vai:

Agora se tu curte um bom e velho rock de raiz, Neil Young tambem tem a oferecer, e o nome da que eu recomendo é Rockin’ In The Free World

Tambem tem uma que me agrada bastante e que você ja deve ter ouvido no filme “Os Mercenários 3” onde no fim do filme, os novos recrutas se reúnem e cantam essa musica que basicamente homenageia os velhos atores que fizeram historia. Se liga aí na Old Man:

E pra finalizar com os videos e partir para os links, essa sem dúvida traz um peso muito grande na letra, pois Kurt Cobain cita um trecho dessa musica em sua carta  escrita antes de cometer  suicídio, o que deixou muito marcado a canção. Mas com todo esse peso, não deixa de ser um poema cantado com um belo som instrumental, escuta aí Hey Hey My My:

Essas aí são algumas das diversas musicas que Neil Young ja produziu,  e por ele ter essa postura de que não faz musica pra ser tocada em rádios, e sim por que gosta, é o que o torna  um dos patriarcas do bom e velho rock de raiz, ou o rock de garagem. Aqui vão alguns nomes de Albuns para caso você queira conhecer mais a discografia dele:

Album “Harvest” de 1972 completo
Neil Young e Crazy Horse de 1986
Best Songs from Neil Young
Young on The Beach de 1974

Atualmente Neil Young esta com 71 anos(2016), e continua totalmente na ativa, produzindo e tocando por aí! Esperamos que esse monstro um pouco desconhecido do Rock, continue nos prestigiando com boas músicas por muito mais tempo, e que muitas outras pessoas que ainda não o conhece, venha a conhecer, pois com elas ou sem elas, as musicas de Neil continuara ecoando em nossas memorias e isso é provado pela sua própria frase impostas em algumas canções: “É melhor arder, do que  apagar-se lentamente”. É com essa frase que encerro o texto de hoje, até a próxima :)